http://paidoamor.com

Conhecer o Pai

Publicado Fev 05, 2021 por Adrian Ebens dentro artigos
212 Acessos

Postado, Jun 21, 2011 by Adrian Ebens in O Pai

Jo 14:6-10 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.  (7) Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já  desde agora  o conheceis e o tendes visto.  (8) Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.  (9) Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e  não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?  (10) Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu te digo não as digo de mim mesmo; mas o Pai que habita em mim, é quem faz as obras.

Ninguém vem ao Pai senão por Jesus Cristo. É este um paradigma arbitrário decidido pelo conselho de três grandes seres celestiais ou é realmente assim; ou seja, a realidade do universo é que é impossível vir a conhecer o Pai a não ser por meio de Cristo.

O contexto desta discussão é "conhecer". Não é simplesmente a capacidade de estar na presença de. Significa conhecê-lo no Seu coração; experimentar intimidade e proximidade com Ele que gera calor, amor, segurança e todas as coisas de que o coração humano necessita.

Se lermos a Bíblia claramente, então devemos tomar Jesus pela Sua palavra de que não há maneira possível de conhecer o Pai a não ser através d'Ele.  A KJV diz que nenhum homem, mas a palavra grega oudeis na realidade  significa ninguém ou nada, portanto nem mesmo os Anjos podem conhecer o Pai a não ser através do Filho de Deus.

A questão óbvia é porquê?

É aqui que devemos ter uma compreensão do reino do Pai. Ouçam o que Ele diz:

Jer 9:23-24 Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o poderoso na sua força, nem o rico na sua riqueza:  (24) mas o que que se gloriar, glorie-se nisto, em me entender e conhecer, que eu sou o Senhor que exerço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor.

Conhecer verdadeiramente Deus é conhecer o Seu carácter e a Sua pessoa. No entanto, uma vez que o Deus do universo tem poder ilimitado e tem uma lista interminável de habilidades e capacidades de realização, seria impossível para nós, como seres criados, conhecê-lo realmente por quem Ele é e não pelo que Ele faz.

Basta pensar nisso por um momento: seria impossível para nós, enquanto seres criados, conhecê-lo realmente por quem Ele é e não pelo que Ele faz. Porquê? Aqui está um ser que não sabemos de onde Ele veio ou como ele faz todas estas coisas. Tudo o que sabemos é que Ele faz coisas, incluindo manter-nos vivos. A sua falta de origem torna-nos impossível conhecê-Lo numa base puramente relacional. Mais uma vez, porquê? Porque quando se conhece a origem de alguém, pode-se conhecê-lo por a quem ele pertence e não necessariamente pelo que faz.

É aqui que o Filho de Deus vem em nosso socorro. Ouça com atenção

João 10:15 Como o Pai me conhece, assim também eu conheço o Pai:

A herança que Jesus recebeu do Pai permitiu-lhe conhecer verdadeiramente o Pai num contexto puramente relacional. A capacidade de Jesus conhecer o Pai desta forma quando o Pai não tem origem,  é prova suficiente de Sua linhagem divina. Um ser criado nunca poderia "conhecer" um ser sem uma origem. Isto é uma impossibilidade. No entanto Jesus, o divino Filho de Deus conhece o Pai. Portanto, ao olharmos para Jesus, podemos ligar-nos a um ser que é conhecido puramente num contexto relacional. O termo Filho de Deus é a sua maior majestade e glória. Ele é aquele que veio do Pai. A sua origem relacional assegura uma base de reino relacional sobre a qual as obras e os actos são feitos. É por esta razão:

Isa 9:6 Porque um menino nos nasceu, um filho se nós deu; e o governo está sobre os seus ombros:

O governo do universo deve permanecer sobre o Filho porque a sua origem do Pai assegura a natureza puramente relacional do reino do Pai. Nesta base, conhecer o Filho é a única forma de podermos conhecer verdadeiramente o coração do Pai. Foi por isso que Jesus disse

João 14:7 Se me tivésseis conhecido, também devíeis ter conhecido meu Pai; e de agora em diante o conheceis, e o tendes visto.

Só através de Cristo é que podemos discernir o coração do nosso Deus infinito. É através de um que tem uma origem, que podemos conhecer o coração de um que não tem. Oh, quão gloriosa é a pessoa de Jesus. Sinto-me comovido com lágrimas de alegria só de pensar nisso.

JESUS É O CAMINHO PARA O PAI!

A própria coisa que é anátema ao Trinitário é  vida para o crente no Filho de Deus, é o facto que Jesus tem uma origem. Nós conhecemo-lo primeiro e sobretudo por aquilo que Ele é, e não por causa do que Ele possui ou pode fazer. Foi a mente de Satanás que criou a ideia de que não podemos conhecer a origem do Filho de Deus.

João 7:26-27 Mas, eis que ele está falando abertamente , e nada lhe dizem. Será que os governantes sabem de facto que este é o próprio Cristo?  (27) Todavia bem sabemos de onde este é; mas quando vier o Cristo, ninguém saberá de onde ele é.

Os judeus tinham sido seduzidos pela mentira satânica de que a origem do Messias não seria conhecida. No entanto, é exactamente isto que a Trindade do Adventismo procura dizer-nos hoje. Dizem-nos que Cristo não tem origem e que, se Ele o tivesse , provaria que Ele não é divino.

O Trinitário grita "se acreditas que Jesus é verdadeiramente um Filho por herança, então fazes Dele um ser derivado e, portanto, inferior" Mas ao tirar de Jesus a Sua origem, destróis a capacidade de O conhecer num contexto verdadeiramente relacional. Só O podeis conhecer pelos Seus feitos e obras e aqui está o auge da idolatria humana. A adoração de um ser que é conhecido pelos Seus feitos e obras é exactamente o que Satanás desejava e todo o ser humano carnal caído deseja. Este é o absurdo da Trindade, a fim de preservar a sua divindade, destrói a sua identidade. A beleza do Adventismo pioneiro é que tanto a identidade como a divindade de Jesus são preservadas e isso através de uma rejeição da misteriosa Trindade.

A Filiação de Jesus e a Sua origem significa tudo para nós e é a própria glória da Sua pessoa. Não uso a palavra começo porque esta palavra está relacionada com o tempo e o tempo nunca pode ser usada como medida da divindade num contexto relacional. A palavra origem fala apenas da fonte, não fala da idade. A origem do Filho de Deus é o elo crítico que nos permite conhecer verdadeiramente o Pai. Sem ela, nunca poderemos conhecê-Lo verdadeiramente.

Quem me vê a mim vê o Pai; João 14:9