http://paidoamor.com

Identidade trocada pelo poder

Publicado Fev 05, 2021 por Adrian Ebens dentro artigos
Traduzido por Carlos Pereira
54 Acessos

Postado em  Julho  29, 2010 by Adrian Ebens em blog-devocional

Apoc. 13:2 A besta que vi era semelhante a um leopardo, e os seus pés eram como os de um urso, e a sua boca como a de um leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande autoridade.

Querido Pai

O conhecimento do teu Filho dá-nos uma grande luz, Ele é maravilhoso ao contemplá-lo, é a minha alegria e o meu canto. Procurei-O entre os grandes homens da terra, mas o Teu Reino não é deste mundo. Mas ao olhar para os homens deste mundo, vejo a procura do poder, o desejo de supremacia, o desejo de ascensão, vejo-o porque me foi ensinado, senti-o, provei-o, desejei-o, procurei-o eu próprio.

No contexto destes últimos dias, a natureza de tal poder está estruturada sob a forma de um leopardo, ah, a sedução da democracia igualitária, o poder no povo! Vejo que quando o poder está no povo, os líderes têm de procurar convencer a população para garantir o seu voto. Os homens mais desejosos de conseguirem reinar de bom grado apresentam várias versões de si próprios até que a sua identidade central se perde e assim a identidade seja trocada pelo poder. Prometem tudo e não fazem nada! Tal é a sedução do leopardo, deve trocar a sua identidade para obter o poder e assim os reinos são governados pelo mais vis dos homens.

O que eu acho mais ofensivo Senhor é o esforço feito para te apresentar do mesmo modo, para trocar a tua verdadeira identidade como Pai, tirando-te o teu Filho e apresentando-te simplesmente como  poder, transformando a verdade de Deus numa mentira e adorando e servindo a criatura mais do que o Criador. Ouvimos monólogos intermináveis sobre o mistério, a distância, a transcendência, a mistura de identidades até que só nos resta o poder. Tal insulto, tal abominação, tal estar virado para o sol dentro do santuário.

Assim, como consequência, em vez de ficarmos a pão e  água , tiraste o homem poderoso, o juiz, o profeta, o prudente e sábio, o homem honrado e o conselheiro, e dás-nos crianças para serem os nossos príncipes - homens que trocam a identidade pelo poder, homens que escondem o seu coração, não defendem uma causa, nunca nos fazem saber o que realmente pensam, pois fazê-lo destruiria a máscara da identidade múltipla que é fundamental para manter o poder democrático. E assim as crianças tornam-se os nossos opressores e as mulheres governam sobre nós, pois o espírito de Nimrod olha para uma mãe/esposa em busca de força, pois ele nunca provou a masculinidade que vem com uma verdadeira identidade como um filho de Deus.

Senhor, merecemos esta escravatura, desejámos que assim seja, demos as condições sem nos opormos e agora as correntes desta sedução apertam-se de dia para dia. As nossas casas estão em colapso, as nossas estruturas de poder estão a tornar-se mais controladoras através da sua insegurança e falta de identidade.

E assim é verdade, a identidade múltipla é o caminho dos loucos, mas a identidade múltipla é o caminho para o poder democrático.

Em breve este poder será quebrado, o barulho do oriente irá perturbá-los, a paz é o grito, mas não há paz, não até que o teu Filho venha novamente e nos liberte desta loucura.

Livra-nos do mal: Pois teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém