http://paidoamor.com

O que é o Evangelho

Publicado Fev 05, 2021 por E.J Waggoner dentro artigos
Traduzido por Carlos Pereira
97 Acessos

Postado Nov 29, 2017 , escrito E.J. Waggoner in Everlasting Gospel

"O que é o Evangelho"?

E.J. Waggoner. Bible Echo de 1 de Maio de 1893

Esta pergunta é respondida em poucas palavras pelo apóstolo Paulo, em Rom 1:16.17: "Porque não me envergonho do evangelho de CRISTO; pois é o poder de DEUS para salvação de todo aquele que crê; . . . . Porque nele se descobre a justiça de DEUS  de fé em fé; como está escrito: O justo viverá pela fé". Mas, embora a pergunta seja respondida em tão poucas palavras, a resposta compreende tanto que levará toda a eternidade a desdobrar a profundidade do seu significado.

O texto acima apresenta dois pontos para a nossa consideração: 1. Salvação do pecado; e 2. O poder de DEUS exercido para realizar essa salvação. Iremos considerá-los brevemente em ordem.

O apóstolo diz que o evangelho é o poder de DEUS para a salvação, porque nele a justiça de DEUS é revelada. Isto mostra que é a revelação da justiça de DEUS, que traz a salvação. Que a salvação tem referência apenas ao pecado, é mostrada no facto de que é a revelação da justiça de DEUS que salva. Ora, uma vez que a injustiça é pecado (1 João 5,17), e o pecado é a transgressão de uma lei (1 João 3,14), é evidente que a justiça é a obediência à lei de DEUS. O texto seguinte também o mostra: "Chamarás o seu nome JESUS; porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados". Matt. 1,21. "Está é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que CRISTO JESUS veio ao mundo para salvar os pecadores".... 1 Tim. 1:15.

Uma vez que o pecado é a transgressão de uma lei, é evidente que salvá-lo do pecado, ou da transgressão de uma lei, é a mesma coisa que fazê-lo e mantê-lo obediente à lei. Portanto, o evangelho é a revelação do poder de DEUS para trabalhar a justiça no homem - para manifestar justiça nas suas vidas. O evangelho, portanto, proclama a lei perfeita de DEUS, e contempla nada menos do que a perfeita obediência a ela. Que não se ignore que não requer menos  poder do que o poder de DEUS, para exibir actos justos na vida dos homens. O poder do homem é um poder totalmente inadequado. Isto é facilmente visível quando reconhecemos o que é a rectidão, que deve ser revelada na vida. O texto diz que é "a rectidão de DEUS". A justiça de Deus está exposta na Sua lei. Isa. 51:6, 7. Agora, quem pode fazer a justiça de DEUS? Ou seja, quem pode fazer actos que são justos como aqueles que DEUS faz?-Evidentemente apenas o próprio DEUS. A lei de DEUS estabelece os caminhos de DEUS. Sal.109: 1, 2. Mas o SENHOR diz: "Como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos". Isa. 55:9. Portanto, o esforço do homem para guardar os mandamentos de DEUS deve ser tão reduzido quanto a terra está debaixo dos céus.

O homem está caído; a obra do evangelho é elevá-lo a um lugar à direita de DEUS. Mas poderá o homem erguer-se a si próprio da terra para o céu? O homem pode levantar-se tão facilmente da terra até ao sol, colocando as mãos debaixo da sola dos pés e levantando-se, como pode elevar-se pelas suas próprias acções até à altura da exigência dos mandamentos de DEUS. Todos sabem que quando um homem tenta levantar-se colocando as suas mãos debaixo dos pés, ele está apenas se segurando, e que quanto mais se levanta, mais ele pressiona para baixo. Assim, é com todo o esforço  humano para fazer por si próprio o que a lei de DEUS exige. Ele está apenas a aumentar a sua culpa, pois "todas as nossas justiças são como trapos imundos". Isa. 64:6. O que o homem faz por si mesmo é de si mesmo; isto é,  egoísmo; e o egoísmo não tem lugar no plano de salvação. O que é de si mesmo é de Satanás; é totalmente maligno. Ver Marcos 7:21-23. O evangelho propõe salvar o homem de si mesmo; portanto, o homem que se propõe a fazer total ou parcialmente por si mesmo a obra que DEUS requer, propõe-se fazer o melhor que pode para frustrar o plano de DEUS. Muitos fazem-no de forma ignorante, mas o resultado é o mesmo. Foi porque os judeus ignoravam a justiça de DEUS que eles se propuseram estabelecer a sua própria justiça. Rom. 10:1-3. Quem se aperceber da infinita profundidade, altura e amplitude do carácter de DEUS, que se resume na Sua lei, verá prontamente que nada menos do que o poder de DEUS pode produzir esse carácter no homem. Só o próprio DEUS pode fazer as obras de DEUS. Para um homem, assumir que ele próprio é capaz de fazer as obras justas de DEUS, é fazer-se igual a DEUS; e esse é o próprio "mistério da iniquidade".